"Prometo e sempre cumpro, ao contrário nunca acontece"



Acaba as férias deste editor, o dever chama. Mas, não poderia deixar de relatar o que ao longo desses três meses podemos perceber. Revendo amigos e conhecendo gente nova, tanto no meio político quanto no geral, em roda de conversas que eu chegava se falava em vários assuntos, Corinthians na liderança do Brasileiro, Palmeiras e Flamengo passando vergonha e o comércio de Matões enfraquecendo, mas, nem o futebol e nem à economia local superam o tema mais comentado na cidade, foi de se estranhar porque só temos pouco mais de sete meses de governo, que esse é o pior governo da história de Matões.

De Dozim Brito aos dias de hoje todos são unânimes ("todos" entendam como aqueles que não tem ligação empregatícia ou algo relacionado com o governo) este é o pior da história de Matões.

Um cálculo supérfluo e feito a olho "nu" por este editor pode-se ver que 70% da base do governo anda insatisfeita, o discurso adotado pelo atual prefeito na campanha não passavam de falácias, assim muitos dizem sem pedir segredo, a queixa maior recai no discurso "amigão e paizão"  ou "homem de palavra" que tem o atual prefeito, todos falam que ele não prometeu ‘mundos e fundos’, mas prometeu que não abandonaria seus aliados e companheiros de batalha e que à bisnaga seria dividida igual, ao fim nada disso aconteceu.

A contradição do discurso é tamanha, que é somente observar o tratamento dispensado a sua companheira de chapa e atual vice, que não tem espaço no governo e pouco aparece. Porém para muitos ela foi o fator principal da vitória do prefeito, se aos 49 do 2° tempo ela adere ao candidato oposicionista, para muitos a eleição estaria perdida para o grupo do governo.

Na passagem do prefeito de Caxias-MA, Fábio Gentil (PRB) ficou nítido a afinidade política com seu vice, Paulo Marinho Júnior (PMDB), em Matões já é diferente, ouvindo pessoas do 1º escalão do governo, relataram que quem manda é que tem poder são três  secretários e é na mão deles que passam "tudo", pois são os todos poderosos de Matões. Vereador também se queixa, tem parlamentar que falou que está perto de ir pra roça, suou tanto para eleger seu prefeito e a si mesmo e agora só recebe ingratidão e falta de prestigio como troco.


As rodas de conversas em bares e esquinas são todas unânimes quanto a 2018, nas ruas se fala em "trocão". Já para ano que vem, está sendo armado um boicote geral aos candidatos governistas, muitos estão contando os dias para darem a resposta nas urnas, se Rubão não tomar as rédeas da situação dificilmente o grupo do governo vencerá em 2020, pois em 2018 de acordo com as rodas de conversas, mesas de bares, filas de caixas eletrônicos, supermercados, grupos de WhatsApp e também no Chá das 5 das senhoras matoense, o grupo do governo não sai vitorioso em Matões.