Artigo: Qual é a sua importância no mundo?




É inegável a necessidade de sabermos viver em sociedade e colaborar uns com os outros. Infelizmente, nos dias de hoje, os interesses individuais das pessoas reinam acima do bem maior. Muitos tentam diminuir os outros para se sentirem melhores. Acredito que você já tenha presenciado uma cena que descreve perfeitamente o que acabei de dizer.

Como exercício, gostaria que imaginássemos um cenário onde cada um de nós é um instrumentista da banda do Hans Zimmer, um dos maiores compositores de trilhas sonoras de todos os tempos. Premiado 110 vezes de 178 indicações. Entre essas premiações está o Oscar, maior prêmio da indústria cinematográfica na atualidade. Você talvez não o conheça de nome, nem de rosto, mas certamente já ouviu suas composições em grandes filmes, como Batman: O Cavaleiro das Trevas, Piratas do Caribe, O Rei Leão, Batman vs Superman, O Espetacular Homem-Aranha e muitos (muitos mesmo) outros. Suas músicas inspiraram muitas pessoas pelo mundo, tocaram muitos corações, fizeram lágrimas rolarem e marcaram muitos momentos na vida de muitas pessoas.

É incontestável a genialidade do Hans Zimmer, mas pare para pensar, o que seria dele sem bons instrumentistas? Na sociedade, é parecido. Temos nossos governantes e nossos líderes (regentes/compositores), mas o que seria deles se cada um de nós resolvesse não seguir mais a partitura? O que seria do mundo se não cumpríssemos com nossos papéis?

É necessário que apenas um ou dois instrumentistas num grande show do Hans Zimmer errem apenas uma nota para que todo o show seja prejudicado. Da mesma forma, é quando não cumprimos nosso papel na sociedade. Não adianta que as partituras (leis) sejam criadas, compostas pelos melhores e mais honestos compositores (deputados, senadores, vereadores) se não nos dispusermos a tocar nossos instrumentos (nossas aptidões e habilidades) com compromisso e seguindo a partitura.

Veja o exemplo dos caminhoneiros. Eles foram capazes de literalmente parar nosso país no ano de 2018. Eles simplesmente cansaram de tocar seus instrumentos seguindo uma partitura desonesta e desgastante. Imagine se todos os médicos do país deixarem de trabalhar por um dia? Você imagina o saldo de mortos que teríamos ao final desse dia?

A reflexão que eu quero deixar com este pequeno texto é que, não devemos nos subestimar nem nos diminuir. Não importa qual seja sua profissão e suas habilidades, você é importante. Sinta-se importante não importando o quão pequeno você acha que é. Seja você um gari, zelador, porteiro, caminhoneiro, professor, médico, advogado ou qualquer outro profissional. Você é importante para a sociedade em que vive, não só como profissional, mas como ser humano e como cidadão. Somos, ao mesmo tempo, instrumento e instrumentista. Tudo depende de uma hierarquia. Os professores são instrumentistas da educação e instrumentos do governo para construir essa educação; advogados são instrumentistas das leis e instrumentos para ajudar as pessoas a terem seu direito respeitado; médicos instrumentistas da medicina e instrumentos para ajudar a salvar vidas; e por aí vai.

Reconheça a sua importância e “jogue duro” para ser o melhor instrumentista que puder. Não melhor que o outro, mas melhor do que você era ontem. Valorize-se. Mesmo que não seja reconhecido por todos, alguém irá reconhecê-lo e se inspirar em você. Nem todo mundo conhece os Hans Zimmer, mas muitos foram tocados por sua música. Nem todo mundo conhece a dona Marinalva, mas todos pisam nas ruas que ela varre na madrugada. Nem todas as mulheres conhecem a Maria da Penha, mas muitas são beneficiadas pela lei que leva seu nome.

É isso. Espero que esta divagação tenha sido útil para você de alguma maneira. Comente o que você achou e compartilhe esse artigo para que mais pessoas tenham acesso.

Forte abraço do seu amigo ZEDY!

“A grandeza está em fazer-se pequeno para tornar grandes os pequenos.”
— Augusto Cury

Postar um comentário

0 Comentários